Quero ser empreendedor. E agora?

Quero ser empreendedor. E agora?

  • Posted by Ana Carolina Camargo
  • On 17 de setembro de 2015
  • 0 Comments
  • competencias, Empreendedor, Motivação, negocio, oportunidades, talentos

Empreendedor

Você refletiu, pensou bastante, deixou a ideia germinar e agora decidiu que sim, você quer empreender e começar um novo ciclo na sua vida construindo o seu negócio! Primeiro, parabéns, independente de como você vai construir seu futuro, passar por um processo de empoderamento pessoal merece sempre ser celebrado. Nesse momento você acredita e é otimista em relação aos seus recursos internos para seguir com este desafio.

Mas, e agora? Como seguir? Qual é o próximo passo? Vou te dar algumas dicas de como prosseguir pelo caminho do empreendedorismo. Não vou falar aqui sobre planos de negócios, nem teorias de administração, mas de fatores mais sutis, muitas vezes negligenciados mas que fazem toda a diferença na sua jornada.

Empreender requer muita energia e essa energia vem de dentro. Ela é inesgotável, portanto não se preocupe com a sua falta e sim em como acessá-la e manter-se conectado a ela. Preocupe-se em criar um negócio que se conecte profundamente com quem você é e com aquilo que o mundo precisa, e para achar este ponto de encontro você precisa ter muito bem definidos os três elementos a seguir:

Propósito – minha motivação para fazer

Você já deve ter visto na parede de empresas ou lojas aqueles quadrinhos de missão e visão da empresa. Quando bem feitos eles expressam a razão de existir daquele empreendimento, o porquê alguém algum dia resolveu investir tempo e recursos para criar aquele negócio. Se o seu empreendimento estiver genuinamente entrelaçado com o seu propósito de vida pessoal, sua energia vai fluir para o negócio, pois ele irá materializar a sua razão de existir e o legado que você quer deixar nessa vida.

Veja um exemplo: o meu propósito de vida é “criar contexto para o florescimento de indivíduos e comunidades”, e a missão do Moporã é “dar acesso para qualquer indivíduo a ferramentas de autoconhecimento como forma de criar empoderamento”. Através do meu negócio eu realizo meu propósito de vida todos os dias. Você consegue imaginar maior fonte de motivação e resiliência nos momentos difíceis do que essa?

Trabalhar seu propósito de vida requer um processo investigativo com algumas etapas bem definidas, mas vou deixar aqui um rápido exercício para que você possa refletir sobre qual é o seu propósito: escreva agora qual a mensagem que você gostaria que estivesse escrita na sua lápide. Como você gostaria de ser lembrado pelo mundo?

Competências e talentos – minha capacidade para fazer

Se você quer empreender para desenvolver uma nova competência, cuidado! Pode ser muita coisa ao mesmo tempo. Competência é o resultado entre habilidade – algo que você aprendeu a fazer – com seus talentos – algo que você naturalmente faz bem. Por exemplo, eu sei dirigir um carro (habilidade) mas eu não seria um bom corredor de kart pois não sou competitivo (talento) o suficiente para ser bem sucedido nesta profissão.

Desenvolver uma competência requer tempo e energia, portanto construa seu negócio aproveitando ao máximo as suas competências atuais, aquilo que você faz bem(habilidade dominada) e gosta de fazer (talento).

Se você acompanhou a série de textos sobre talentos já sabe que usá-los conscientemente todos os dias te dá prazer e motivação para fazer e aqui surge uma oportunidade única na sua vida! Veja: você está criando um negócio, uma página em branco, porque não criá-lo de forma a usar o que você tem de melhor para oferecer? Combinando seus talentos e criando algo único?

Oportunidade – relevância para fazer

Aqui entra o papel social de qualquer negócio. Quando digo social não falo de terceiro setor ou filantropia, mas de que todo o negócio deve existir para de alguma forma servir à sociedade, gerar valor para um grupo de pessoas, ou seja, ele deve ser relevante para um conjunto suficientemente grande de pessoas para poder existir. Mantenha-se antenado com as tendências, investigue nichos de mercado e ao final pergunte-se: o meu negócio vai deixar o mundo um pouquinho melhor?

Fonte: Administradores/Contadores

 

0 Comments

Leave Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *